• Piso
  • Área
  • Descrição
  • 2

No Palácio Foz funcionou, como Depósito Legal, uma importante Biblioteca, contando-se entre as suas espécies bibliográficas dois dos mais valiosos núcleos do País.

O salão de banquetes com uma grande porta de vidros que dá para o terraço, debruçado sobre o jardim, enquadrada por uma imponente colunata de mármore.

A “Sala dos Painéis”, possui dois enormes quadros do século XVII do flamengo Frans Snyders, “O vendedor de Peixe” e a “ A vendedora da fruta”.

Contígua à Sala dos Espelhos, apresenta a mesma disposição, abrindo três janelas sobre a Praça. De estética Luís XVI, que lhe dá o nome.

Ao longo do “Salão Nobre”, corre uma larga galeria com portas-janelas, o teto em caixotões assente sobre pilastras, decorada com bustos, uns romanos, outros da Renascença.

O “Salão Nobre”, possui uma área de mais de 170 m2 e uma altura de 14 metros, foi concebido no estilo Luís XV, inspirada na sala dos espelhos de Queluz e de Versalhes.

Revestido com painéis de azulejos historiados adquiridos na antiga fábrica da pólvora, em Alcântara, datados por volta de 1730, possui elegantes colunas de mármore de José Onofre.