• Piso
  • Área

Sala dos Espelhos

O “Salão Nobre”, possui uma área de mais de cento e setenta metros e uma altura de catorze, foi concebido no estilo Luís XV, inspirada na sala dos espelhos de Queluz e de Versalhes.
Na parede leste abrem-se cinco janelas de sacada para a Praça dos Restauradores, nas outras brilham as portas de espelho emolduradas de frisos e talha antiga, nos cantos do salão, a suportá-lo, quatro atlantes em tamanho duplo do natural, reproduzidos de um modelo de Simões de Almeida. A decorar o entablamento, que é sustentado por dezasseis pilastras, nas sobreportas, medalhões de Columbano Bordalo Pinheiro. A cúpula, de sanca acentuada fecha-se num quadrifólio representando Vénus, Baco e quatro Amores, atribuída a Weenix. De um e outro lado desta composição, ricamente ornamentados, ainda dois medalhões do pintor português, com temas alegóricos.